A Audição


Devido ao fato de que a perda de audição pode se desenvolver ao longo de muitos anos, a maioria das pessoas não se dá conta da extensão de sua perda auditiva, até que familiares ou amigos lhes chamem a atenção. Mesmo nesses casos, o problema é ignorado e explicado com desculpas, como cansaço ou "as pessoas é que falam muito baixo". É importante recordar que a perda auditiva é um problema de saúde física, onde na maioria dos casos ela é gradual e indolor, muitas vezes desenvolvendo-se tão lentamente que quase não se nota.

O primeiro passo é reconhecer a perda auditiva em você ou em alguém que você conheça. Se há suspeita de perda auditiva, deve-se fazer uma consulta com um profissional da área de saúde auditiva para um teste e avaliação. Esse exame ajuda a determinar quando uma perda auditiva deve ser tratada clinicamente ou com aparelhos auditivos.

A deficiência auditiva tem sido apontada como uma alteração sensorial capaz de gerar incapacidades e limitações na vida do ser humano em virtude do seu papel na comunicação. Aproximadamente 10% das perdas auditivas podem ser ajudadas clinicamente. Graças aos numerosos avanços tecnológicos atuais, é possível ajudar a quase totalidade dos 90% restantes com a utilização de aparelhos auditivos.

Há diferentes modelos de aparelhos auditivos disponíveis para diferentes graus de perda auditiva.

A seleção do aparelho auditivo correto deve ser feita somente por otorrinolaringologistas e fonoaudiólogos. Quando seleciona um aparelho o profissional pode revisar a informação audiométrica e realizar qualquer alteração final dos controles do aparelho, para ajustá-lo às suas necessidades particulares. A necessidade auditiva é única, como a impressão digital.